Protesto

eles tem

bombas de gás lacrimogênio

bombas de efeito moral

balas de borracha (?)

spray de pimenta

cavalos

cães ferozes

armaduras

capacetes

escudos

cacetetes

nós temo

coquetéis molotovs

vinagre

paixão

e poesias

nós estamos em vantagem!

Edvan Moura – 2022

Publicidade

Uma Playlist do Celular

entro no meu carro

ponho óculos escuros

ativo a playlist do meu smartfone

que o bluetooth me faz ouvir

e sigo a minha “viagem”

lembro da época em que

me reunia com meus amigos, há 30 anos,

praça universitária, martim cererê ou em algum barzinho da velha goiânia

a gente chegava no pico da revolução

a gente escorregava na emoção

citavamos malatesta, reich, redson e miguel jorge

ouviamos nossas músicas num gravador que, vez ou outra, engolia a fita

fita caseira, gravada na força do ódio

no meu carro, de óculos escuros, ouço essas músicas

as quatro janelas abertas, o vento querendo me roubar mas…

o som rola e minha mente rola

por trás dos óculos escuros, as lágrimas rolam também

abundantemente…

tudo que vivi com meus amigos, hoje é apenas uma playlist de celular

como isso doi!

Edvan Moura – 2022

Meu Território

meu corpo

é meu território

meu território tem forma, cor, idade e tamanho bem definidos

meu território não é bonito nem feio para você

por que

meu território é meu território

e ele agrada a mim

e agrada a quem eu quero agradar

eu moro no meu território

eu vivo no meu território

e te convido

venha, um dia,

deitar-se no meu território

Edvan Moura – 2020

Eu Quero Respirar

eu não consigo

respirar

por que tem gente sem máscara

na rua ao ar livre

fingindo que a pandemia acabou

crentes de que a vacina contra o Coronavírus

é negar que ele existe

mas eu não consigo respirar

por que tem uma fumaça preta

dos biomas queimando

que cai do céu sobre mim

eu não consigo respirar

pois o joelho da polícia

está sobre meu pescoço

eu preciso respirar

mas ver tantos animais pantaneiros carbonizados

quais estátuas de cinza no mato queimado

prende o ar dentro de mim

eu estou sem respirar

o ar que alimenta o fascismo

no Brasil e no mundo

eu quero respirar com você

dias melhores

respirar é  viver

e eu quero viver com você

Edvan Moura – 2020

COVID-19 COM VIDA

Pandemia da COVID-19

parece que minha veia criativa

foi silenciada

hibernou nessa quarentena

que de 40 dias passou para

5 meses

só a arte e a educação salvam

nessa pandemia

cuidemos de nós e de quem amamos

para que não seja a mutação

COVID-19, 20, 21, 22…

mas COVID com VIDA

Edvan Moura – 2020

Sem título nº 34

ssshiii!…

SILÊNCIO!

 

o silêncio…

SILÊNCIO!

 

o silêncio…

SILÊNCIO!

 

o silêncio…

SILÊNCIO!

 

o silêncio não existe.

 

 

Edvan Moura – 2020

Tatuagens e Cicatrizes

tatuagens e cicatrizes

se misturam em mim

são memórias de escolhas

e acidentes

que somente quem está vivo

vivenciou

 

tatuagens e cicatrizes

me causaram dores

voluntárias e involuntárias

doeu mas passou

 

essas marcas

me causam lembranças

e me ajudam a rolar um papo descontraído

íntimo… ínfimo…

 

algumas tatuagens quis modificar

outras cicatrizes quis arrancar

mas hoje, gosto do jeito que estão

 

tatuagens e cicatrizes

marcam meu corpo

e marcam a pele da minha

alma

profunda

 

 

Edvan  Moura – 2019

Pedido de Socorro

SOCORRO!

ALGUÉM

SOQUE-ME

ATÉ QUE ALGO

SAIA DE

DENTRO DE

MIM

TEM QUE SAIR!

 

 

Edvan Moura – 2019

As Coisas

as coisas      acontecem

tecem

nossos rumos

nos jogam para lugares

ora alegres, ora lúgubres

de ponta ou

de ponta-cabeça

 

coisas podem ser muitas

coisas!

ou pouca coisa

pouco caso

um adianto ou nem tanto…

um atraso no futuro

um atraso de vida

 

atravesso esta rua e quem me garante que chegarei do outro lado dela?

 

 

Edvan Moura – 2019

Profundo!

SEXO

É

ALGO

PROFUNDO

PRO FUNDO

PRO   FUNDO

DA           ALMA

O

CORPO

É SÓ

O

MEIO

MEIO BOM

MEIO RUIM

O SEXO

É

SEMPRE

BOM

 

 

Edvan Moura – 2019

Sem Título nº 33

desce

sobre

 

esquerda

direciona

 

siga

parece que…

 

à meia luz

amei a luz

 

só, do late

sodomia

só dormia

 

comemorar

come, sair

 

Edvan Moura – 2019

Paz para o meu coração

Tudo que eu quero é

um pouquinho que seja

de paz para o meu coração

 

você indo embora

dói

mas consola

por que meu coração

fica aliviado

 

ver sua imagem

de costas para mim

se afastando devagar

preocupa

mas eu suspiro reconfortado

 

há muito tempo que não sei o que é

a paz para o meu coração

tanto tempo que isso se tornou novidade

presente novo!

 

Você se vai

e vai para sempre

embora do meu coração

no seu lugar

no fundo do meu peito

vai ficar

a paz

 

 

Poema inspirado em Piece of My Heartcanção de Janis Joplin gravada em 1968.

Edvan Moura – 2019

 

 

Salto Quântico Mental

quando eu ouço

mulheres negras jovens

cantando músicas

que tem como tema

mulheres negras jovens

vivendo nas quebradas

 

eu sinto minha mente

viajar

andar a 20

a 30 anos

a frente

dessa sociedade demente

 

as partículas atômicas de meu cérebro

me projetam nesse salto quântico com a música das manas.

 

 

Edvan Moura – 2019

Papel e Grafite

meus olhos

e sua imagem

se unem no desenho que faço

 

minha percepção

e a luz sobre você

uma olaria imaterial

molda o que de mais belo vejo

de cores em você

 

se eu não vejo

o que eu mais desejo

não vale a pena o olhar

 

papel e grafite

pele e pelos

pelos ombros

pelos quadris

 

essa arte eu faço

essa arte me faz

 

seu reflexo

minha reflexão

meu desejo

você imortal nesse desenho

 

Edvan Moura – 2019

 

 

Bonde da História Minha

Às vezes eu sinto

que eu perdi o bonde

da minha história

Que eu perdi a “grande oportunidade”

Ela esfregou na minha cara

seu dinheiro e seus peitos

E eu achei que não

era comigo

Por que alguém falou

que “a grande oportunidade”

Não é para mim

E eu acreditei…

Agora fico nesta estação

esperando

a volta do bonde

da minha história

passar novamente

E me levar para sempre

amem!

 

Edvan Moura – 2018

Racismo

o racismo no Brasil

é passivo-agressivo

 

os racistas daqui

gostam dos negros

que se comportam como

os brancos

 

para os racistas do Brasil

negros são tão bons, mas tão bons mesmo,

que não precisam de ajuda de ninguém para se sobressaírem

 

para eles, as cotas e as ações afirmativas

são uma forma de discriminação racial do Estado

por que um negro tem todas condições de,

pela “meritocracia”, alcançarem os elevados patamares sociais

basta querer…

 

para os racistas, todo negro que tem Fé

consegue ser alguém importante

por que todo branco que tem Fé consegue também

 

e com esse pensamento infantilizado, por um lado,

de uma bruta criança dengosa que brinca com

vários bonecos e bonecas negros, a sociedade

vai empurrando a população afro-brasileira

para dentro da sarjeta dos nossos dias,

tais como rejeitos sociais

 

por outro lado, prestigiam esportes ou se apropriam das músicas, modas, religião

e outros elementos ancestrais da cultura negra

é a afro-conveniência

 

o racismo no Brasil não mostra sua cara

é igual a rato, só olha de lado

é passivo-agressivo

e machuca…

 

 

Edvan Moura – 2019

Respire o Presente

passado

futuro

 

depressão

ansiedade

 

passado-depressão

futuro-ansiedade

 

calma

respire-agora

o presente é oxigênio

 

esvazie-se de tudo

encha-se de nada

respire.

 

 

Edvan Moura – 2018

My Find

procurei

em

quase

todos

os

lugares:

Tinder – Badoo – Lovoo – eHarmony – Happn – Pof – Adoteumcara – Bumble – Once – Grindr – Kickoff – Fresh

 

 

MAS

quando a bateria acabou

eu vi refletido no black mirror

do meu celular

o rosto da pessoa

que eu

mais procurei

e que

há anos

não via

com os

olhos

que vi

 

 

Edvan Moura – 2018

 

 

 

Homofobia reversa

VOCÊ!

que tem muito medo de viado

que tem ódio de bicha

 

CUIDADO!

pode ter um viado bem perto de você,

agora

pode ter uma bicha num lugar que você nem imagina,

de fato

 

FIQUE ESPERTO!

esse viado

essa bicha

que você tanto teme

podem estar

 

DENTRO DE VOCÊ

 

 

Edvan Moura – 2018

 

Envelhecer e Não Ficar Velho

ficar velho não é envelhecer

 

ficar velho é muito triste

mesmo que a gente se esforce

para ficar com a mente atualizada

 

o corpo sofre modificações

fica mais feio, mais deformado

menos atraente…

 

os amigos vão se afastando

é quase impossível fazer novos amigos

e as pessoas da nossa família

vão nos deixando de lado

 

ficar velho é adquirir um poder de super herói

o poder da invisibilidade

a gente fica invisível e ninguém nos enxerga mais

 

E por não ver, não lembram

pois quem não é visto não é lembrado

 

mas velho é visto como obsoleto

doente, intolerante, anacrônico, quando triste

inoportuno, idiota, babão, quando alegre

 

por que tanto desprezo por quem envelheceu?

envelhecer é fato, é natural, não dá pra fugir disso!

 

na verdade, eu luto para envelhecer

que é diferente de ficar velho

mas as pessoas ao meu redor

só me veem como

um

velho…

 

quer saber? velho é o preconceito delas!

 

 

 

Edvan Moura – 2018

 

 

Alternativas

resistir

ou

reexistir?

 

 

rever

ou

reviver?

 

 

a próxima ação

ou

aproximação?

 

amarrar

ou

amar?

 

 

ou eu ou você

ou

nós?

 

 

 

Edvan Moura – 2018

 

o fingimento nosso de cada dia

oi, como vai você?

vou bem. e você?

bem.

 

bom dia, tudo bem?

tudo bem, bom dia pra você também!

 

e ai? tudo joia?

joia! e você, tá bem?

tudo certo!

 

olá, como está?

tudo na santa paz de deus!

que bom!

 

não sei por que me perguntam?

sou obrigado a responder sempre que estou bem!

somos obrigados a passar imagem de bom e de bem!

o sorriso é obrigação, ainda que os olhos sangrem lágrimas!

benditos óculos escuros!

amém…

 

 

Edvan Moura – 2018

 

Pre-Ocupa-Ação

PREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOPREOCUPAÇÃOP

 

não se preocupe

ocupe a si

ocupe-se

AÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃO

 

 

Edvan Moura – 2018

Alzheimer

O Alzheimer
não gosta de poesia

não gosta das conexões
entre as partes da simetria bilateral
do encéfalo

o Alzheimer
gosta é do lixo das preocupações
que se forma
ao redor dos neurônios
evita sua plasticidade

o Alzheimer
se alimenta da sua preocupação

absurda!

Então
não se preocupe mais
leia poesias mais

recite poesias

mais
e mais
e mais…

 

Edvan Moura – 2018

17 de Maio de 1990

Sou homossexual.

#prontofalei

 

Você sabe o que é ser isso?

Mas você? por que você?

Que nojento!

Mas logo você que tem tanta beleza! Pense melhor nisso. Vale a pena?

Passa lá em casa, depois

Na sua família existe alguém assim, gay?

Curti!

Seu pai sabe?

Sua mãe sabe? Coitadinha da sua mãe…

Não tem problema, mas você sabe se limpar, né?

Conheço um psicólogo bom, você quer o cartão dele?

Jovem, você sabe das doenças e das maldições de Deus que irá descer sobre você?

 

Qual foi a época em que você escolheu ser gay?

Foi na mesma época em que você escolheu ser heterossexual. Quando foi  que você escolheu ser hétero?

(!…)

 

Edvan Moura – 2018

 

Conceitos Contemporâneos

as letras são uma palavra virtual
a palavra pode ser digital

o virtual não é digital
o digital é abstrato
o virtual nem sempre

o virtual tem tudo pra ser
o digital é

o digital é fluido
o virtual nem sempre

o virtual tem virtude
o digital tem dedos

o digital e o virtual podem ser substantivos, adjetivos e advérbios
mas nunca, verbos

o digital é totalmente ligado e totalmente desligado
o virtual é mais ou menos

o digital é 011001100001100101011100010101101…
o virtual é psicossomático e desafia a noção de mente/corpo no efeito placebo

o digital é o representante
o virtual é a simulação

o virtual é futuro
o futuro é digital

esta poesia é digial
e pode ser poema virtual
mas pode ser o contrário

…pura analogia!

 

 

Edvan Moura – 2018

mobília

via mobília

Medita-ação

é preciso estar

presente no presente

se esvaziar de tudo

se encher de nada

aspirar quanticamente

as partículas de vida no ar

expirar

o não ser

até expirar

o ego

definitivamente

 

Edvan Moura – 2018

Meu Faroeste Caboclo, com respeito

Depois

De tantos anos

Hoje

Agora

Sei aonde

Fica o lote 14

Da Ceilândia onde

o João de Santo Cristo foi

Ter com o jeremias

A Ceilândia toda é o lote 14

Devido ao tráfico de drogas e o aliciamento de jovens e crianças

E João de Santo Cristo e Jeremias

São dois grupos rivais

Que vivem e morrem todos os dias

Fugindo da PMDF

Que protege General de 5 estrelas

Que fica atrás da mesa

Com o cu

Na mão

Edvan Moura – 2017

Eco Mental

minha mente

mente

mente

mente

mente

mente

 

 

de

repente

me convence

e

me

vence

vence

vence…

 

 

Edvan Moura – 2017

Hoje

consumindo
fotos e músicas antigas
de minha juventude…

olhando para mim
e ao redor e mim…

distraidamente

eis que abrupta
veio uma bola de fogo
sobre meu peito

de questionamentos íntimos:

“em qual curva do passado eu
derrapei e me perdi pra fora da tangente?”

“em qual estrada fiquei até
hoje esperando resgate?”

“por que vivi com tamanha velocidade?”

“será se aquele lá ainda sou eu?”

“que sou eu hoje?”

“e você? que é você, realmente?

 

Edvan Moura – 2017

Sem Título – nº 32

quem ama tem doença mas não é doente

tem angústias mas não sofre

sente medo mas não desiste

erra mas não contempla a culpa

sonha mas nunca se ilude

trabalha mas não fica fatigado

 

quem ama não vê nada no outro

a não ser o amor

que tem dentro de si mesmo

e nem se dá conta

disso

 

quem ama se relaciona

de modo diferente com a dor

porque

 

quem ama não rima

amor com dor

mas rima

amar com se entregar

libertar

criar

ar…

 

 

Edvan Moura – 2017

Trambique

meu

cachorro

Trambique

é

o

único

que

me

respeita,

bêbado.

é

o

único

que

não

me

deixa

uivando,

sozinho.

.

.

.

Edvan Moura – 2017

As Flores das Flores do Mundo de Agora

O papel dos jornais

que acabei de ler

me fez espirrar

coisas do Charlie Habdo

Uma velha bomba que explode lá dentro da cabeça

Se eles querem Democracia, deem a eles Democracia!

Se ele querem um estado Israelense, entreguem esse Estado a eles!

Se eles querem um Estado Islâmico, dê a eles

Somos cidadãos do mundo

do único mundo que podemos habitar, hoje

Não é de muito amor à terra

que conflitos armados explodem

e o sangue espirra

me faz espirrar…

 

Edvan Moura – 2015

Ator

ator

trabalhador

 

 

ator

trabalha

a

dor

 

 

ator

trabalha

 

 

 

Edvan Moura – 2017

Caixinhas

a vida em caixinhas

cada um na sua
carros
casas
muros
apartamentos
baias
celas
telas

nos vimos
pela janela

por ela
vida
remota

eu
meu
amor
pra sempre
dentro da minha caixinha iluminada
e eletrônica

e agora?
é agorafobia.

 

Edvan Moura – 2017

Sem Título nº 31

já não passa mais por aqui

tanta abelha

 

e os pássaros

que sumiram

talvez tenham sido mortos

pela crescente aplicação

agrotóxicos

 

 

como se espera viver

num lugar assim?

 

 

as flores carentes

desejando loucamente

serem reviradas

por dentro…

 

 

Edvan Moura – 2017

Desabafo!

POEMA DIFERENTE

SEM GRAÇA

FEITO POR ACIDENTE

MEIO QUE NA RAÇA

 

 

POEMA BOBO

QUE NINGUÉM VAI LER

POR QUE TODOS

TEM MAIS O QUE FAZER

 

 

DÁ LICENÇA!

MAS EU INSISTO EM ESCREVER POESIAS

 

PARA NÃO FICAR LOUCO

ESSE MOTIVO PODE PARECER POUCO

MAS POEMAS, PARA MIM,

É UMA GRANDE MAGIA!

 

É UMA REFLEXÃO FILOSÓFICA

É UMA BANDEIRA ANTI ESTEREÓTIPO

FOGE DO LUGAR COMUM

ESSE ESCONDERIJO ONDE NINGUÉM PODE SE SER ÚNICO

 

POESIA, EU TE AMO.

EU TE CLAMO!

 

 

Edvan Moura – 2017

 

Klaatu Barada Nikto

os vigilantes (anjos ou alienígenas?)

donos do olho

sempre alerta (triangular, triangulado, triangulação)

deram ideia a George Orwell

 

mas antes disso

influenciaram os maçons

 

mas antes disso

ajudaram a criar os iluminati

 

mas antes disso

fizeram as primeiras abduções com os homens primitivos

 

ao longo de nossa História

eu não sei quem ganhou e ganha com as guerras e com as mortes

se são os vigilantes ou se é o homem

 

eu só queria que os vigilantes

me dessem potência na voz

de 10 bilhões de decibéis

para poder gritar para o mundo todo:

Klaatu Barada Nikto!!!

 

para que os homens parem

e aprendam a lição da Doce Maria

de unir o cérebro e as mãos

por meio do coração

 

 

Edvan Moura – 2017

Sem Título nº 30

ANO

NOVO,

VIDA

FODA!

 

 

Edvan Moura – 2017

Síndrome do pânico

eu não saio mais da cidade

 

eu não saio mais na rua

 

não vou sair deste apartamento também

 

quer saber?

 

não vou sair de mim

não vou sair…

e nem vou entrar

 

vou ficar

pra ninguém

nunca mais

me encontrar

 

 

Edvan Moura – 2016

O bipolar

EU

TE

AMO

TANTO

HOJE

QUE

SOU

CAPAZ

DE

TE

ODIAR

MUITO

AMANHÃ

!!!

Edvan Moura – 2016

De-pressão

ausência de dor

ausência de amor

esse estado  de

anestesia

mas em plena vigília

 

sem sofrimento

sem alegria

não há ambição

nem revolta

nem fome

nem  plenitude

 

somente uma pressão

vai pra dentro eternamente

no peito, bem no coração

mas que coração?

 

é apenas essa pressão de dentro

a de-pressão

 

 

Edvan Moura – 2016

Ansiedade

quem possui

ansiedade

 

vê o que não aconteceu

ouve o que não vibrou sonoramente

 

sente cheiro do que é inodoro

e age duas vezes antes de pensar

 

quem possui

ansiedade

não possui

ansiedade

 

 

na verdade

é a

ansiedade

que o

possui

 

 

Edvan Moura- 2016

 

 

A minha San Junipero

um dia
eu gostaria de ir
para San Junipero
mas para a minha San Junipero

voltar para 1987
mas sendo eu em 1987
com a consciência e maturidade
que tenho em 2016

gostaria de me ver sair de casa
na noite de sábado
ouvir o barulho do portão se arrastando
para eu sair, todo arrumado e bonito!

noite quente e agradável

ver a rua sem asfalto
pisar no cascalho dela
ver as casas, as árvores, as luzes dos postes

encontrar meus dois amigos
com os quais gostava de sair
pelas ruas sem asfalto
procurando alguma festinha

festa em que a gente pudesse
entrar e dançar
apenas isso

a minha San Junipero
é bem diferente da cidade
em que atualmente vivo
e morro

na minha San Junipero do passado
felicidade se concentra
na disposição
de querer ser feliz

quem sabe…

talvez, num outro dia no futuro,
a cidade em que vivo, hoje, não
se transforme na minha outra San Junipero?

será?

 

Edvan Moura – 2016

Triste Paisagem Urbana

os edifícios fazem

sombra sobre nós

a nuvem escura

faz sombra sobre os edifícios

 

os edifícios escondem

nossos horizontes

nossos pores-de-sol

nossas estrelas

e nos apresentam

a sua arquitetura

feia

sem graça

 

essa paisagem vitrificada

e padronizada em cores e formas

que faz nossa cidade ser

qualquer cidade do mundo

 

essa paisagem urbana

que destrói

nossa identidade cultural

e mata

nossos já poucos

pássaros

 

 

Edvan Moura – 2016

 

 

 

Mundo imagético

A gente tira muita foto
Por que a gente não confia
Hoje em dia
Naquilo que a gente vê

Parece que o enquadramento
De nossos olhos não é melhor que o das lentes digitais..,

É tanta beleza capturada pelos olhos
Que a boca não consegue emitir
Palavras para descrever, sabe?

Também parece que faltam
Palavras para descrever aquele momento único e lindo

Pois a gente não anda lendo
O suficiente para dizer, descrever
A beleza da realidade capturada.

Daí a fotografia digital do dia-a-dia
Substitui a fadiga das palavras

É que nós somos seres da era imagética mas não sabemos que somos…

Por que uma imagem vale mais que mil palavras
Mas é necessário um bilhão de palavras consumidas, processadas e internalizadas para ajudar a compreender uma imagem boa!

 

Edvan Moura – 2016

Essa Noite Ela Vem

Hoje é mais uma daquelas noites

em que ela vem me visitar

 

Ah! Ela, a angústia

A angústia se relaciona

com o passado

naquele momento exato

quando a gente

escolheu um caminho

em detrimento de outros

Hoje é mais um daqueles dias

que ela, a angústia,

trás consigo o sabor da morte

A morte tem um quê lascivo

e deixa na boca esse gosto de

alma fugida

Que foge

lá para o passado

naquele momento exato

daquela escolha

Edvan Moura – 2016

 

 

 

Numa Noite Quente de Outono

calor

insônia

na madrugada

grilos… grilos… grilos…

criquiam… criquiam… criquiam…

lá longe na estrada asfaltada

uma motocicleta passa

passa…

passa…

vai passando

passou

sumiu no quase silêncio

grilos… grilos… grilos…

criquiam… criquiam… criquiam…

zzzzzzzzzzzz…

Edvan Moura – 2016

SIDA

a SIDA foi a peste gay

“4H’s” e depois “GRID”

mas foram os gays

um dos primeiros

grupos a sofrerem

desse mal

que se organizaram

para salvar

gays, héteros,

hemofílicos, crianças…

desde então,

o amor ficou

com gosto de látex

Edvan Moura – 2016